terça-feira, 24 de abril de 2012

Poeira do Caos


Muda o vento
E muda a vida
Direção oposta
E você corre contra
Muda o tempo
E isso é possível
O frio imprevisível
Vem devagar
Vem com a mudança do vento
Ventila a cabeça
Bagunça todo o espaço
Coloca no centro
A poeira do caos
Explode
E outra coisa nasce
Outro você
É só mudar o vento.

domingo, 1 de abril de 2012

Nem tão pouco...


Do quanto você espera
Esqueceu de contar as datas
Que nem eram tão importantes assim
E vendo o sol nascer
Voltou a ter coragem
Tudo voltou a resplandecer
Na aurora dos tempos
Na mente aberta
Viaja: a tal busca por si mesmo
Em busca de algo
Que jamais entenderá
De tanto pensar
E também olhar pra trás
Deixou lá
O que pra lá ficou.