domingo, 1 de abril de 2012

Nem tão pouco...


Do quanto você espera
Esqueceu de contar as datas
Que nem eram tão importantes assim
E vendo o sol nascer
Voltou a ter coragem
Tudo voltou a resplandecer
Na aurora dos tempos
Na mente aberta
Viaja: a tal busca por si mesmo
Em busca de algo
Que jamais entenderá
De tanto pensar
E também olhar pra trás
Deixou lá
O que pra lá ficou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário