terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ao absurdo do dia
Eu dedico minhas horas vagas
Meus pensamentos sem sentido
Exatos na forma abstrata

O som que não se propaga no vácuo
O vácuo que habita o universo
Mora bem perto do caos

E a primeira quinzena de agosto
Faz sentido para muitos de nós
Mas não muda quase nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário