segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Tédio fiel e sem fim
Sem tempo pra se escolher
O pouco que ainda temos
O direito que nos devem
As respostas que esperamos
E as caras que nunca damos
Sem prestar contas ou atenção
Sem pulsar
Se é que resolve
Se é que se pode afirmar
Ou se for sagrado
E nem possa sair do local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário